#Guitarrista

Subsolo

World in Ruins: intensidade sueca

Curto e grosso. Não há como enganar! O death metal / punk / crust dos suecos World in Ruins é do mais intenso que vais ouvir hoje!

Publicado há

-

Origem: Suécia
Género: death metal / punk / crust
Último lançamento: “Future Breed” (EP, 2019)
Editora: independente
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista: Diogo Ferreira | Review: João Correia

Curto e grosso. Não há como enganar! O death metal / punk / crust dos suecos World in Ruins é do mais intenso que vais ouvir hoje!

«Podem esperar muita diversidade, desde death metal rápido a tresandar a d-beat caótico até ao punk.»

Sonoridade: «O EP “Future Breed” foi gravado com o EP “War of Deception” e, com ambos, queríamos elevar as coisas a um novo nível, tanto no que diz respeito às músicas em si como à produção. Embora a base seja a mesma, as pessoas podem esperar muita diversidade, desde death metal rápido a tresandar a d-beat caótico até ao punk e a algumas coisas mais lentas e pesadas.»

Conceito: «As nossas letras são tipicamente sobre o mundo lixado em que vivemos, com tópicos como extremismo, religiões atrasadas e abuso doméstico. Queremos que a letra tenha um significado em vez de coisas como Satanás e sangue.»

Evolução e referências: «Achamos que o nosso som evoluiu nos últimos EPs e ainda mais no próximo álbum, que será lançado durante 2020. A nossa base ainda é o death metal da velha-guarda, como Death inicial e Morbid Angel, além de crust-punk, como Anti-cimex, Discharge e Wolfpack, mas achamos que encontrámos a nossa própria identidade na maneira como misturamos esses dois géneros.»

Review: Ahhh, o bom e velho death/crust/punk sueco! Os World In Ruins, como o nome indica, não planeiam deixar pedra sobre pedra com “Cast Aside”, um tema inspirado por nomes seminais do género: Extreme Noise Terror, Napalm Death, Amebix, Doom… Para onde quer que nos viremos, encontramos sempre um ponto com que nos identificamos na amálgama retorcida do som deste quinteto escandinavo. “Cast Aside” é uma homenagem moderna a um género órfão de pai e mãe, mas que insiste e persiste para marcar a sua posição.

Facebook

Destaques

Notícias

Artigos

Mundo das Guitarras © 2021