#Guitarrista

Entrevistas

Saukkonen (Wolfheart): «Esta é a nossa melhor interpretação do winter metal até agora»

Entrevista com Tuomas Saukkonen, dos Wolfheart, sobre “Wolves Of Karelia”.

Publicado há

-

Foto: cortesia Napalm Records

“Wolves Of Karelia” é o título do novo disco conceptual dos Wolfheart e é inspirado na Guerra de Inverno, um dos momentos pivotais do início da II Guerra Mundial, opondo as forças finlandesas e o Exército Vermelho da então União Soviética. A Metal Hammer Portugal falou com o mentor Tuomas Saukkonen e, logo ao início, quisemos saber há quanto tempo estava esta ideia na sua mente. «Sempre esteve no seio da banda. Cada álbum tem uma ou duas músicas sobre a Guerra de Inverno, que é o tema principal do novo álbum. O álbum de estreia tem uma música chamada “Ghosts Of Karelia”, que está ligada a esta temática. Portanto, isto existe desde a criação da banda.»

Com letras directas e objectivas, que descrevem essencialmente ambientes e emoções, depreendemos que Tuomas Saukkonen tenha feito uma considerável pesquisa para ficar o mais próximo possível da realidade do conflito. O músico confirma. «Foi exactamente o que fiz. Li entrevistas aos veteranos e ouvi muitas gravações dessas entrevistas. Todas as letras são baseadas nessas histórias e entrevistas, de um ponto de vista individual dessas pessoas que fizeram parte da guerra – é a base para todas as letras.»

Estar próximo ou mesmo ser oriundo do cenário que se conta em “Wolves Of Karelia” é um ponto importante para que tudo seja mais honesto e descritivo. Saukkonen fala-nos das suas origens e da região da Carélia. «A minha aldeia está perto da fronteira russa. A quinta que a família do meu pai tem há uns séculos está apenas a sete quilómetros da fronteira. É uma das aldeias mais próximas da Rússia em toda a Finlândia. Também faz parte da região da Carélia, uma das áreas principais da Guerra de Inverno, e perdemos um bom bocado dessa zona para a Rússia. Algumas das bases militares ainda lá estão e há uma colina na minha aldeia que ainda tem um canhão apontado à Rússia. Há alguns edifícios na aldeia que têm o antigo estilo arquitectónico da Carélia, que não é muito comum no resto da Finlândia, que veio do lado russo no passado. Ainda há muito para recordar dessa guerra.»

Com um álbum que actua como uma homenagem aos soldados finlandeses que lutaram na Guerra de Inverno, perguntámos se sente que a coragem finlandesa precisa de ser recuperada ou se todas as feridas já estão saradas. «Não se trata de curar, mas essas feridas não devem ser reabertas. Desejaria que a nossa geração pudesse mostrar uma coragem semelhante, mas ao mesmo tempo espero que não tenhamos de estar nessa posição. Os nossos avós fizeram aquilo porque tiveram de o fazer, não escolheram ter uma guerra, tiveram de defender a nação. Espero que a nossa geração honre essa coragem, mas que nunca a tenhamos de mostrar novamente porque isso significaria que tínhamos de entrar em mais uma guerra, e seria horrível.»

Os Wolfheart sempre tiveram aquele sentido melancólico de tristeza, dando ao death metal melódico um sabor a doom metal, mas agora esse elemento modificou-se. Esse lado melancólico é mais furioso e mais negro, e não apenas triste, em “Wolves Of Karelia”. Tuomas consente que a raiva que sentimos deste lado é um bom pormenor. «A raiva é um ponto positivo. Não estava furioso quando compus o álbum, mas havia aquela agressividade da temática do álbum, porque, claro, tenho uma ligação muito pessoal à guerra, sendo um descendente finlandês dos guerreiros dessa guerra. Tentei criar uma imagem e reflectir o que os soldados sentiram na guerra. Isso trouxe uma agressividade extra, e não se trata de estar furioso mas de reflectir a sua ira perante a situação e o quanto eles queriam parar o exército de russos que estava a invadir a Finlândia. Toda a temática trouxe uma agressividade extra ao álbum.»

Desta vez, com este quinto disco, pode sentir-se que as orquestrações desempenharam um papel maior do que anteriormente executado, oferecendo-nos uma atmosfera mais cinemática e épica. Porém, apesar de “Wolves Of Karelia” ser, possivelmente, o disco mais complexo dos Wolfheart, Saukkonen não vê o processo de orquestração como complicado. «Para este álbum mudámos o orquestrador, e queríamos ter uma abordagem diferente e mais como uma banda-sonora de um filme. Adicionámos mais trompas e coisas assim que geralmente existem numa banda-sonora, em vez de apenas cordas básicas. Tornou-se muito fácil, porque toda a orquestração foi feita pelo nosso engenheiro de som. Trabalhámos muito próximos, com ele a fazer todas as gravações, e foi muito fácil quando se tornou parte do processo diário no estúdio.»

Tendo-se em conta que os Wolfheart são rotulados como winter metal, fechámos a conversa de forma a perceber se, para Tuomas Saukkonen, esse rótulo faz agora mais sentido do que nunca na sua carreira com este “Wolves Of Karelia”. «Este álbum e temática sublinham da melhor maneira o nosso estilo e todo o rótulo que dei à música da banda em 2013. Portanto, sim, esta é a nossa melhor interpretação do winter metal até agora.»

“Wolves Of Karelia” é o título do quinto longa-duração dos Wolfheart e foi lançado a 10 de Abril de 2020 pela Napalm Records.

Facebook

Destaques

Notícias

Artigos

Mundo das Guitarras © 2021