#Guitarrista

Subsolo

Valcata: reverter a extinção

Divertido e cativante, o som de Valcata também é capaz de ser sério e complexo.

Publicado há

-

Origem: EUA / Internacional
Género: symphonic/prog metal
Último lançamento: “Valcata” (2019)
Editora: independente
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista e review: Diogo Ferreira

Divertido e cativante, o som de Valcata também é capaz de ser sério e complexo.

«O álbum é sobre um planeta chamado Valcata que procura ajuda no universo depois de uma onda de calor ter causado extinção em massa.»

Objectivos: «O nosso objectivo era criar uma ópera metal e sinfónica divertida e cativante, mas complexa. Esperamos que, com o tempo, mais pessoas nos descubram e se apaixonem pelo álbum, para que possamos receber apoio para continuar a fazer músicas no futuro.»

Conceito: «O álbum é sobre um planeta chamado Valcata que procura ajuda no universo depois de uma onda de calor ter causado extinção em massa. As personagens de Valcata descobrem a Terra e a história continua a partir daí. Há muitos conflitos na história, mas também fortes mensagens de paz e tolerância.»

Referências: «Os principais estilos são metal sinfónico e progressivo, mas também somos influenciados pelo metal avant-garde, pop, clássico e showtunes. Bandas semelhantes a nós seriam Ayreon, Epica, Unexpect, Seventh Wonder, The Dark Element e Amaranthe. Também somos influenciados por outros géneros – qualquer coisa, desde grandes ícones, como Michael Jackson e Celine Dion, a K-pop, como Exo e Blackpink, música electrónica, como Zomboy e Röyksopp, e musicais, como “Finding Neverland” e “Rent”. Encontrarão vestígios de tudo isso no nosso álbum, por isso terão um passeio ecléctico!»

Review: É entre o sinfónico e o progressivo que Valcata, o projecto de Oha Cade, se apresenta. O primeiro álbum de título homónimo é também uma experiência moderna auditivamente e algo futurista visualmente, como se pode testemunhar pela capa. Com muitos convidados, como por exemplo a vocalista Zuberoa Aznárez (Diabulus In Musica), “Valcata” é colorido com teclados cintilantes, arranjos ambient ao fundo, riffs pesados que também sabem ser melódicos e algum shredding técnico.

Facebook

Destaques

Notícias

Artigos

Mundo das Guitarras © 2021