#Guitarrista

Artigos

Tiamat “Wildhoney”: o início do dark metal

Publicado há

-

O ano de 1994 é, sem dúvida, um dos períodos mais prolíficos da cena metal. Durante esses 12 meses, fomos agraciados por discos como “Tales from the Thousand Lakes” (Amorphis), “Hvis lyset tar oss” (Burzum), “The Principle of Evil Made Flesh” (Cradle Of Filth), “Transilvanian Hunger” (Darkthrone), “In the Nightside Eclipse” (Emperor), “De Mysteriis Dom Sathanas” (Mayhem), “Dark Medieval Times” / “The Shadowthrone” (Satyricon) e “Wildhoney” (Tiamat).

Todos eles, bandas e álbuns, definiram algo novo no vasto mapa que era, e ainda é, o metal, renovando o panorama extremo para escaparates mais exploratórios, inovadores e basilares quanto aos anos vindouros. De todos eles, hoje destacamos “Wildhoney” dos Tiamat, lançado a 1 de Setembro de 1994.

Depois de três álbuns relacionados ao death metal, Johan Edlund quis distanciar-se disso após “Clouds” (1992), ficando apenas acompanhado de Johnny Hagel e do novo parceiro Waldemar Sorychta, conhecido produtor que trabalhou também com Moonspell, Samael e Lacuna Coil.

O distanciamento do death metal encetado por Edlund proporcionou-nos a existência de “Wildhoney”, considerado a obra pioneira do metal extremo combinado com elementos psicadélicos. Se “Whatever That Hurts” ainda bebe muito do death/doom metal oriundo da Suécia e da Inglaterra, “The Ar” fornece uma toada gótica que seria amplamente exercitada pelos Moonspell no ano seguinte com “Wolfheart”, “Gaia” veste a melancolia do doom metal romântico e atmosférico, “Do You Dream Of Me?” é uma balada orientada à negritude conceptual do gothic/dark metal com influências em Bob Dylan e “A Pocket Size Sun” representa toda a adoração que Edlund tem por Pink Floyd.

Passadas décadas, “Wildhoney” é galardoado como um dos trabalhos que mudou o paradigma metálico devido à insistência de mudança por parte do mentor Johan Edlund, originando assim um álbum que não omitia por completo o death/doom metal e que abria novas portas que permitiam ao psicadelismo e à atmosfera melancólica a sua entrada nas sonoridades mais agressivas.

“Wildhoney” é o início daquilo que se rotulou como dark metal e que varreu o resto da década de 1990, linha temporal em que surgiram discos de Moonspell, Rotting Christ e Lacuna Coil relacionados ao subgénero que os Tiamat tinham criado sem saber.

Facebook

Destaques

Notícias

Artigos

Mundo das Guitarras © 2021