Uma das grandes bandas da actualidade no Brasil é Drowned. Formada em 1994 por Fernando Lima, após diversas mudanças, a banda... Terra Brasilis: Drowned e o metal que segue os passos de Sepultura e Sarcófago

Uma das grandes bandas da actualidade no Brasil é Drowned. Formada em 1994 por Fernando Lima, após diversas mudanças, a banda estabilizou-se em 1998. Para lançarem o álbum de estreia, “Bonegrinder”, conseguiram contrato com a mais famosa editora brasileira, a Cogumelo Records – selo que lançou Sepultura e Sarcófago.

Actualmente, os Drowned são formados por Fernando Lima (voz), Marcos Amorim e Rafael Porto (guitarras), Rodrigo Nunes (baixo) e Beto Loureiro (bateria), que trazem referências de thrash, death e black metal. «As inspirações são diversas. Ouvimos sempre muitas coisas dentro do metal e rock. Somos cinco cabeças que pensam de maneira parecida quando vamos fazer música, mas viemos de experiências musicais diversas, tanto como músicos como fãs. Bandas de death metal dos 1990s são as mais significativas para a nossa base, mas também o thrash metal dos 1980s. Do heavy metal, Accept e Iron Maiden também exerceram alguma influência. Porém, não ficamos estagnados. Também ouvimos as bandas mais recentes. Outros exemplos são Immolation, Pungent Stench, Godflesh, Pain, Paradise Lost, Voivod, AC/DC, Judas Priest. A lista é grande.»

No início deste ano, os Drowned lançaram o disco ao vivo “Damned Alive”, que apresenta músicas de dois concertos em Belo Horizonte. «De tempos em tempos tentamos registar o que é possível dos nossos concertos. Nem sempre há condições técnicas. Neste caso, estávamos a pensar não só em fazer um live mais recente mas também poder tocar com os integrantes das principais formações da banda – a original e a que vinha fazendo os últimos trabalhos. Fizemos uma escolha de músicas que pudesse contemplar o início, o meio e os últimos lançamentos. Não incluímos músicas do álbum “Butchery Age” porque já tínhamos lançado um live há uns 10 anos ou com mais foco nele. Felizmente, os concertos agendados correram bem e conseguimos com isso fazer um registo digno.»

O último trabalho de estúdio é “7TH”, de 2018. Em 2019, a banda lançou uma cover por mês, disponibilizando cada uma delas no YouTube, o que resultou num grande projecto que foi lançado em formato físico. «Lançámos uma versão a cada primeira segunda-feira de cada mês, de Janeiro a Dezembro. A escolha das músicas foi a pensar em fazerem-se boas versões de músicas e bandas que achamos relevantes e também, nalguns casos, inusitadas. As pessoas curtiram muito este projecto e começaram a pedir que saíssem todas num álbum. As editoras Tales from the Pit, Kaotic Records, Toten Records, Rapture e Heavy Metal Rock resolveram lançar este disco. A recepção foi grande também na versão física.»

Questionado sobre a recepção na Europa, o vocalista Fernando diz: «Desde o início, sempre tivemos algumas pessoas que conhecem a banda na Europa. Sempre divulgámos os trabalhos de forma ampla». Para o guitarrista Marcos, a representante no exterior é a Greyhaze Records, parceira da Cogumelo Records. «Actualmente, a Greyhaze Records faz distribuição do nosso material físico, tanto nos EUA como na Europa. Sempre tivemos críticas muito boas vindas da Europa, desde os nossos primeiros trabalhos.» Também se realizaram alguns concertos pela Europa – uma tour de 40 dias que passou por países como Bélgica, Alemanha, República Checa, Suíça e Áustria. «Nessa altura, em 2008, fizemos uma tour despretensiosa. Queríamos tocar, tocar fora e tudo mais. Acabámos por fazer 23 ou 24 concertos – foi muito interessante e acho que fizemos uma boa apresentação.»

Devido à pandemia, não é possível para os Drowned planear muito o futuro, mas trazem ainda assim grandes novidades para os fãs. «Vamos continuar o nosso trabalho nas redes sociais e a produzir material. Estamos com muitas novidades nas redes. Nos próximos meses começaremos a vender a nossa cerveja, a Beergrinder, em comemoração aos 20 anos do nosso primeiro álbum, o “Bonegrinder”. Também sairá a versão em LP gatefold e cassete. Todos os detalhes e como comprar estarão nas nossas redes. Teremos diversos outros produtos comemorativos, como copos e camisolas. Também estamos a trabalhar no próximo EP, que deve sair no próximo semestre de 2021 – e está muito bom. Quando sair, ouçam!»