#Guitarrista

Subsolo

Royal Hunt: distopia Bradburiana

Da Dinamarca, Royal Hunt continua a mostrar com “Dystopia” por que é que é uma das bandas que ajudou a impulsionar o metal melódico e progressivo há 30 anos.

Publicado há

-

Origem: Dinamarca
Género: melodic/prog metal
Último lançamento: “Dystopia” (2021)
Editora: NorthPoint Productions
Links: Facebook | Instagram

Da Dinamarca, Royal Hunt continua a mostrar com “Dystopia” por que é que é uma das bandas que ajudou a impulsionar o metal melódico e progressivo há 30 anos.

«A iluminação intelectual é uma luta que ainda hoje é relevante.»

Novo álbum: «Os Royal Hunt mantêm os fãs intrigados com os seus empreendimentos aventureiros, e o 15º álbum não é excepção: um trabalho conceptual monumental com composições sinfónicas, progressivas, porém com forte impacto, repletas de performances impecáveis, embaladas firmemente num formato imediatamente acessível e uma produção exuberante e contemporânea. A adição de alguns extraordinários vocalistas convidados e as suas performances excepcionais combinadas com orquestrações amplas cria uma sensação cinematográfica verdadeiramente conceptual em cada faixa.»

Conceito: «“Dystopia” é inspirado no romance clássico de Ray Bradbury, “Fahrenheit 451”, uma história sobre um mundo distópico onde os livros são ilegais e a censura mantém a sociedade sob controlo. A iluminação intelectual é uma luta que ainda hoje é relevante. Esta não é a primeira vez que os Royal Hunt inserem o romance do autor na música – em 2001, a banda gravou um conceito baseado no épico “Martian Chronicles” de Bradbury. O conceito “Fahrenheit 451” é, em parte, responsável por um álbum multi-texturizado, com temperamentos que vão do melancólico (como “Snake Eyes”) ao catártico (como “Burn”).»

Sonoridade: «Musicalmente, “Dystopia” encapsula tudo o que adoro nesta banda, com riffs majestosos, coros omnipresentes, excelentes vozes principais, melodias de teclado em staccato e uma inclinação neoclássica infundida com composições prog. Como é típico desta banda, “Dystopia” contém várias passagens instrumentais que permitem a música respirar.»

Review: Veteranos do metal melódico, o quinteto fundado por André Andersen apresenta uma discografia consistente e cada novo álbum – já são 15 – representa tudo aquilo que ajudaram a criar há 30 anos no panorama melódico e progressivo. Embebida por distopias, a nova proposta dos dinamarqueses é composta por músicas impetuosas que unem arranjos orquestrais e poderosos riffs de guitarra, sem obviamente esquecermos os refrãos sempre cativantes e memoráveis. Num momento tão grave das nossas vidas, bandas como Royal Hunt elevam a necessidade de nos termos que rodear por boa música, e é isso que fazem: som coeso, com rumo, com mestria.

Facebook

Destaques

Notícias

Artigos

Mundo das Guitarras © 2021