#Guitarrista

Subsolo

Raptor 200: contra a injustiça

Metal honesto é o que os Raptor 200 prometem oferecer com “Age of Scare”, álbum sobre o qual a banda diz estar satisfeita.

Publicado há

-

Origem: Áustria
Género: heavy metal
Último lançamento: “Age of Scare” (2019)
Editora: independente
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista: Diogo Ferreira | Review: João Correia

Metal honesto é o que os Raptor 200 prometem oferecer com “Age of Scare”, álbum sobre o qual a banda diz estar satisfeita.

«O que as pessoas podem esperar é o melhor metal verdadeiro e honesto que podemos oferecer.»

Objectivos: «Antes de mais, foi uma óptima experiência criar a nossa música como uma equipa, com base no respeito um pelo outro e na amizade sincera. A primeira gravação é sempre arriscada para as bandas, porque é como um teste, se a banda consegue realmente trabalhar em conjunto. Nós conseguimos e o resultado é definitivamente satisfatório – era esse o objectivo! O que as pessoas podem esperar é o melhor metal verdadeiro e honesto que podemos oferecer e, ao mesmo tempo, uma antevisão das próximas aventuras!»

Conceito: «Como o álbum se chama “Age of Scare”, o conceito é sobre como o medo e a desconfiança afectam a sociedade. Isso tem a ver com indivíduos que sofrem sob uma jurisdição corrupta, como em “Friend In Danger”, ou grupos sociais que se revoltam contra a injustiça, como em “Freedom Or Death” que contém um toque razoável de feminismo (“Freedom or death” é uma citação da sufragista Emmeline Pankhurst), e “Age of Scare” é sobre como a religião e a superstição manipulam as pessoas de uma maneira repugnante. Essa é a mensagem principal do álbum. A mensagem musical é muito mais positiva – é tudo sobre a alegria e a diversão que temos a tocar juntos.»

Evolução e referências: «Os Raptor 200 formaram-se em 2015 e, é claro, passámos por várias mudanças, de estruturas musicais simples para mais complexas, mas é sempre ao estilo Raptor 200 – pesado, intransigente e poderoso. As nossas referências musicais são amplas. O Gerhard, nosso guitarrista, gosta de Annihilator e Five Finger Death Punch, o baixista Gerald é mais o tipo do prog e gosta de Rush e Psychotic Waltz, o nosso jovem baterista Nico prefere metalcore como Architects e extreme metal como Meshuggah, e a vocalista Claudia, como metaleira fanática, gosta de quase tudo o que tenha uma guitarra distorcida, baixo e vozes gritantes, mas principalmente Iron Maiden e Judas Priest.»

Review: O heavy metal clássico dos austríacos Raptor 200 é o tipo de som que estamos habituados a ouvir vindo de bandas dos anos 1980. Saxon, Iron Maiden, Dio e Jag Panzer, entre outras, compõem o ramalhete de influências dos vienenses, que não têm problema em apoiarem-se nelas para compor “Mad Adventure”, um tema nítido e simples que facilmente fará cabeças abanar. Extraído de “Age Of Scare”, “Mad Adventure” é um excelente exemplo de metal tradicional que resiste à erosão do tempo.

Facebook

Destaques

Notícias

Artigos

Mundo das Guitarras © 2021