#Guitarrista

Subsolo

Humavoid: metal progressivo de terror

Para o segundo álbum, os Humavoid juntaram-se à editora Noble Demon, tendo em “Lidless” um álbum de metal progressivo moderno em que lhe é adicionada uma onda de terror. O guitarrista Niko Kalliojärvi apresenta-nos a banda finlandesa adequada para fãs de Jinjer e Meshuggah.

Publicado há

-

Foto: cortesia Noble Demon

Para o segundo álbum, os Humavoid juntaram-se à editora Noble Demon, tendo em “Lidless” um álbum de metal progressivo moderno em que lhe é adicionada uma onda de terror. O guitarrista Niko Kalliojärvi apresenta-nos a banda finlandesa adequada para fãs de Jinjer e Meshuggah.

«A música está mais pesada e técnica do que antes.»

A press-release fala sobre improvisação, algo que, de alguma forma, é semelhante entre jazz e rock progressivo, ainda que tendamos a dizer que o progressivo é sempre bem pensado, meticuloso e matemático. Quando se fala em Humavoid, também precisamos de adicionar o lado técnico. Portanto, como é que os instintos de improvisação se encontram com o lado técnico?
Revezam-se. As partes técnicas são geralmente reproduzidas como foram escritas. Mas nas poucas partes que são um pouco mais calmas, decidimos deixar espaço para a improvisação, apenas para dar mais profundidade e expressão à música. É uma óptima forma para contrabalançar a precisão cirúrgica e a disciplina necessária nas partes técnicas. Na verdade, tentámos replicar os interlúdios de piano no estúdio, mas foi impossível captar a mesma sensação das demos originais da Suvimarja [Halmetoja, voz, teclados], por isso decidimos usá-los na gravação final. Também gostamos de manter a porta aberta para ideias de última hora durante a gravação. O nosso baterista [Heikki Malmberg] gosta de tocar um pouco diferente a cada momento, portanto, às vezes, podemos obter uma bateria sólida com tantos detalhes aqui e ali que reorganizamos os outros instrumentos ou vozes para destacarmos essas partes ainda melhor. As músicas acabam por ter hooks que não estariam lá se outro take fosse escolhido no início.

Considerarias que “Lidless” é o vosso lançamento mais bem-conseguido quando se trata de unir caos e ordem?
Sinto que, definitivamente, fomos mais à frente neste álbum. A música está mais pesada e técnica do que antes, mas ao mesmo tempo tornámo-nos melhores compositores, o que faz com que cada música se destaque por si só. Ainda assim, parece que apenas começámos! [risos]

Existindo muitos teclados assombrosos que nos recordam o cinema de terror clássico, considerarias “Lidless” como metal progressivo de terror? Quão influente é a cena de terror para Humavoid?
Qualquer forma para descrever a nossa música, para despertar o interesse de um potencial ouvinte, é mais do que aceitável! Acho que posso falar por todos na banda – filmes de terror, novos e antigos, têm causado impacto na maneira como escrevemos nesta banda. Não só em relação à música, mas alguns filmes têm uma onda tão perturbadora que podem ser uma grande fonte de inspiração. Música é muito mais do que apenas notas, e conseguir transferir um pouco dessa onda para a música adicionará outra camada de profundidade.

Finalmente, como remate: quais são os objectivos que desejam alcançar com Humavoid?
Continuar a evoluir de álbum para álbum. Queremos continuar a descobrir novas maneiras de nos expressarmos enquanto mantemos a energia que faz a música soar pesada e directa. Outro objectivo seria vender todos os nossos produtos – procurem!

Facebook

Destaques

Notícias

Artigos

Mundo das Guitarras © 2021