#Guitarrista

Subsolo

Helhesten: a luta entre o bem e o mal

Origem: Espanha
Género:  heavy/power metal
Último lançamento: “Vanquisher of Darkness” (2019)
Editora: independente
Links: Facebook | Bandcamp
Entrevista e review: João Correia

Os aragoneses Helhesten trilham um género particularmente querido e afecto no território de nuestros hermanos, acrescentando boas ideias a um trabalho profissional.    

«Musicalmente, incluímos uma combinação de melodias e riffs pesados para reflectir o contraste entre o bem e o mal, que é o conceito do álbum.»

O que esperar: «O nosso primeiro EP “Vanquisher of Darkness” consiste em cinco faixas – quatro músicas mais uma introdução seleccionada da nossa crescente biblioteca musical. Decidimos incluir estas músicas em particular, pois acreditávamos que cada uma é muito diferente da outra dentro do género, algumas com uma sensação de fantasia mais sombria, enquanto que outras possuem mais momentos orquestrais e energéticos. O nosso objectivo era lançar algo de diverso para os nossos ouvintes. Musicalmente, incluímos uma combinação de melodias e riffs pesados para reflectir o contraste entre o bem e o mal, que é o conceito do álbum. Isso também se pode ouvir noutros instrumentos, como os ritmos de bateria lenta e rápida e as partes vocais altas e baixas. A capa foi criada pelo talentoso Caio Caldas do estúdio de design gráfico CadiesArt, sedeado no Brasil. Captura perfeitamente o conceito do álbum e ajuda a colocar uma imagem na mente dos ouvintes.»

Conceito: «“Vanquisher of Darkness” é um conceito original que, metaforicamente, reflecte os desafios do dia-a-dia. Conta a história de um arcanjo que desce do céu para salvar a humanidade lutando contra a força do mal que é “Helhesten”, um cavalo de três pernas do folclore dinamarquês. Esta história é retratada na capa e contracapa do EP. Os desafios mencionados anteriormente consistem principalmente em lidar com pessoas más e com a dor que elas causam nos outros. Essa “batalha” captura essa noção e o “Subjugador” vence, o que reflecte o que essas pessoas merecem pelas suas acções –perderem a batalha que começaram. A ideia principal para as faixas do EP, além dos desafios do dia-a-dia, são histórias de literatura de fantasia e videojogos. É o que podem esperar das outras faixas.»

Influências: «Como é o nosso primeiro lançamento, ainda temos que desenvolver nosso som. Obviamente, cada um de nós tem vários artistas que admira. Para Mark, sua principal referência musical seria Jon Schaffer, da Iced Earth; teve um grande impacto nas composições de Helhesten. Quanto aos solos e ao trabalho de guitarra, Joe Satriani foi a inspiração para escrever solos melódicos e outras melodias nas músicas, que se encaixam perfeitamente com o ritmo. Adrián admira os Arch Enemy, especialmente o trabalho de bateria de Daniel Erlandsson e o seu foco brutal na composição das músicas. Eduardo e Marcos, por outro lado, são principalmente fãs do clássico, referindo-se a bandas como Iron Maiden ou Metallica, mas também gostam de outros géneros como Thrash e Neoclassical Metal.»

Review: “Vanquisher of Darkness” aposta no heavy/power metal tradicional sem receio de inovar ou de ter uma abordagem singular, algo que é fácil de verificar no tema-título com pormenores como o toque único inicial no ride para anunciar uma mudança de andamento ao som de espadas a colidirem durante a música. Tecnicamente, os Helhesten são modestos, mas sente-se sinceridade no seu som: a voz de Sergio Beltrán é muito pronunciada, mas potente; os solos de Marcos Alba são simples, mas muito melódicos e plenos de vitalidade. E conjunto, os Helhesten têm noção do que desejam atingir. No geral, “Vanquisher of Darkness” é um bom EP de apresentação para o que está para vir.

Facebook

Apoia a nossa causa

Destaques

Notícias

Artigos

Mundo das Guitarras © 2021