#Guitarrista

Subsolo

Event Horizon: eficácia germânica

Os alemães Event Horizon praticam death metal/metalcore moderno e com complicações, recorrendo a um groove contagioso e esmagador para apresentarem “Degenerate”, o seu trabalho de estreia.

Origem: Alemanha
Género: death metal / modern metal
Último lançamento: “Degeneration” (2019)
Editora: Blackwater Soundstudio Records
Links: Facebook
Entrevista: João Correia | Review: Diogo Ferreira

Os alemães Event Horizon praticam death metal/metalcore moderno e com complicações, recorrendo a um groove contagioso e esmagador para apresentarem “Degenerate”, o seu trabalho de estreia.

 «O nosso objectivo era criar músicas tecnicamente impecáveis e agressivas que pudessem impressionar, mas também fazer pensar.»

O que esperar: « Decidimos gravar um LP em vez de um EP porque um álbum oferece mais possibilidades para contar histórias musicais. O nosso objectivo era criar músicas tecnicamente impecáveis e agressivas que pudessem impressionar, mas também fazer pensar. É exactamente isso que os ouvintes podem esperar do nosso álbum.»

Conceito: « O principal conceito de “Degeneration” é a deterioração da sociedade e da civilização humanas por culpa própria. As músicas falam sobre vários assuntos, tais como: guerra nuclear, perda, pecado, distúrbios da mente humana, escravidão, degradação ambiental e adoração do oculto. Ao início, ocorre a regressão da humanidade; no final, há um vislumbre de esperança de regeneração.»

Influências: « Como “Degeneration” é nosso primeiro longa-duração, ainda não é possível falar de uma evolução sonora. O nosso primeiro disco é caracterizado por riffs pesados, uma bateria fluida, solos rápidos de guitarra e vocais agressivos. Existem elementos de death metal e metalcore, mas como nos orientamos para estruturas mais clássicas da música, chamamos a nossa música de modern metal. É difícil rotular concretamente o nosso género, deixamos isso para o ouvinte. Som limpo é algo de muito importante para nós. As nossas influências musicais incluem bandas como Parkway Drive, Trivium, Soilwork e Lamb of God.»

Review: Ouça-se “Modern Slave” e levamos logo um chapadão com aquela entrada de rompante protagonizada pela guitarra poderosamente distorcida. O que se segue é uma fusão de death, thrash e groove metal, tudo suportado por uma voz diversificada que inclui em si mesma todos os subgéneros atrás mencionados. O álbum de estreia “Degeneration” foi lançado em Maio de 2019, por isso está fresquinho e a provar que da Baviera está-nos a chegar bom metal.

Facebook

Apoia a nossa causa

Destaques

Notícias

Artigos

Mundo das Guitarras © 2021