Aquela sensação de estarmos a ouvir restos de temas anteriores é o que mais define "Half Past Human". Cirith Ungol “Half Past Human”

Editora: Metal Blade Records
Data de lançamento: 28.05.2021
Género: heavy metal
Nota: 3/5

Aquela sensação de estarmos a ouvir restos de temas anteriores é o que mais define “Half Past Human”.

Nome de culto do heavy metal clássico mais underground dos 1980s, foi precisamente nos inícios da década seguinte que os Cirith Ungol deram por encerradas as suas actividades no campo da música de peso. Passados largos anos, em 2016, o colectivo de Ventura anunciava o seu regresso aos palcos. O retorno aos estúdios acabou por se materializar mais tarde, com “Forever Black”, o longa-duração mais recente.

Posto isto, vemo-nos agora perante “Half Past Human” e… bem, acontece que não há aqui motivo para grandes festas.

Estando nós ainda a viver os efeitos de uma pandemia a nível global, é compreensível que banda X ou Y decida de alguma forma combater o constrangimento de não poder tocar ao vivo, lançando um extra ou outro – e é nesse contexto que o registo em questão surge.

Tratando-se de um EP de apenas quatro faixas, “Half Past Human”, conforme a própria press-release o pode comprovar, não é nada mais do que um conjunto de pequenos temas que até à data, por alguma razão, ainda não tinham visto a luz do dia – ou seja, nem sequer estamos a falar de originais compostos propositadamente para o efeito.

Com a sonoridade de marca dos Cirith Ungol – heavy tradicional com uma certa veia doom e o seu quê de rock n’ roll – não se pode dizer que o registo é mau. No entanto, afirmar que é um disco simplesmente bom também parece exagerado. Na verdade, aquela sensação de estarmos a ouvir restos de temas anteriores é o que mais o define – o que pode ser explicado pelas palavras do parágrafo anterior.